O Santuário

O Santuário

O Santuário de Elefantes Brasil é uma nova e empolgante organização sem fins lucrativos que vai ajudar a transformar as vidas e o futuro dos elefantes cativos na América do Sul. Desde janeiro de 2010, a ElephantVoices, junto com defensores interessados na causa no Brasil, vêm trabalhando para apoiar os esforços legislativos para proibir a antiquada prática de utilizar elefantes em espetáculos no Brasil, enquanto exploram o potencial para o desenvolvimento de um santuário de elefantes no país. Em 2012, Scott e Kat Blais se uniram a esses esforços, trazendo com eles o conhecimento e a experiência necessários para ajudar a transformar a teoria em realidade. Com a criação do Global Sanctuary for Elephants (Santuário Global para Elefantes), nossa coalizão de especialistas e cidadãos interessados está pronta para dar o próximo – e fundamental – passo em direção ao futuro.

Cinco países da América do Sul já aprovaram leis que proíbem o uso de animais em espetáculos, e o Brasil é o próximo da fila, à espera de uma alternativa que garanta aos elefantes deslocados um futuro seguro, compassivo e saudável. A maioria das pessoas concorda com os proativos esforços legislativos, mas poucos têm uma solução para o que acontecerá com os elefantes, uma vez que não tenham mais utilidade no circo. Zoológicos não são uma opção viável – mesmo os “bons” zoológicos –, pois as limitações de espaço e capacidade impactam totalmente a qualidade de vida dos elefantes. Na verdade, existem vários elefantes que já residem em jardins zoológicos da América do Sul e que estão necessitando desesperadamente de uma alternativa mais saudável. O Santuário de Elefantes Brasil é essa alternativa, através do desenvolvimento de nosso grande e bem preservado habitat natural, rodeado de cuidadores compassivos e com uma abordagem holística da saúde e do bem-estar dos elefantes. O Santuário de Elefantes Brasil vai oferecer a oportunidade de uma vida na natureza que todos os elefantes cativos merecem.

Infelizmente, a realidade dos elefantes em cativeiro sempre foi horrível. Começando na infância, muitos com apenas dois ou três anos de idade foram roubados de suas famílias na natureza, ficando então isolados, sofrendo abusos e, em alguns casos, passando fome e sendo torturados antes de serem embalados em caixas de madeira e enviados através dos mares para passar as próximas décadas viajando com circos ou confinados em recintos de zoológicos, frequentemente, numa existência solitária. A vida de um elefante escravizado em cativeiro para entretenimento humano  causa danos dramáticos à sua saúde física, psicológica e emocional. Frequentemente, esses elefantes desenvolvem comportamentos neuróticos, sacudindo e balançando a cabeça compassadamente, experimentando uma série de padrões repetitivos, com o olhar fixo e hipnótico em algo que não podemos ver, perdidos dentro de si mesmos, fazendo o que eles têm que fazer, a fim de lidar com a vida que lhes foi entregue.

Close na tromba de um elefante asiático comento abacaxi

Elefantes asiáticos no rio
Se esses indivíduos tivessem sido deixados em paz e lhes fosse permitido que crescessem com as suas próprias famílias e migrado ao longo de milhares de quilômetros quadrados, criando sua própria prole, suas vidas talvez não tivessem sido fáceis, já que  enfrentam crescentes ameaças devido à ganância humana, mas eles, ao menos, teriam sua vidas ditadas pela natureza. Pelo lado positivo, sabemos que, com base na experiência da Performing Animal Welfare Society e do The Elephant Sanctuary in Tennessee, dois santuários de elefantes de renome mundial, podemos fazer uma profunda diferença na vida dos elefantes cativos na América do Sul. O Santuário de Elefantes Brasil irá proporcionar um ambiente nutritivo, grande, onde os elefantes poderão socializar com outros de sua própria espécie, migrando e pastando ao longo de centenas de hectares, nadando e se refrescando em lagoas. Podemos oferecer a eles um lar onde possam aprender a confiar em pessoas ao seu redor, permitindo-lhes uma sensação de paz que abra uma oportunidade para curar feridas e cicatrizes emocionais de décadas atrás.

Desenvolver um santuário de elefantes requer amplo conhecimento da vida natural dos elefantes, sobre como eles vivem se deixados sozinhos na natureza, uma compreensão de suas estruturas sociais, da dieta adequada, dos métodos de comunicação e uma profunda compreensão do significado dos seus comportamentos naturais, suas posturas e vocalizações. Mas também temos que entender o que eles enfrentaram em cativeiro, como a forte dominação humana, a punição física, o impacto a longo prazo de uma dieta inadequada e a falta de experiência social, o isolamento e o confinamento extremos. Mais importante, temos que compreender a psicologia da cura e o vasto espectro de respostas individuais ao estresse e ao trauma. Alguns podem se recuperar rapidamente, outros podem ter lembranças de sofrimentos passados que podem assombrá-los para o resto de suas vidas. Todos os aspectos da natureza dos elefantes e o impacto que o cativeiro teve em cada um deles devem ser levados em consideração na escolha das terras, na construção das cercas, no desenvolvimento do protocolo operacional, no projeto das instalações e, principalmente, nos cuidados quando se estiver trabalhando com cada indivíduo.

O Global Sanctuary for Elephants reuniu dois especialistas muito experientes, a Dra. Joyce Poole, reconhecida internacionalmente por seus estudos com elefantes selvagens na África, e Scott Blais, cofundador do The Elephant Sanctuary, uma das duas organizações pioneiras nos cuidados progressistas com elefantes. Com o vasto conhecimento de Joyce sobre o comportamento natural desses animais e o profundo conhecimento de Scott em relação aos cuidados e à recuperação de elefantes em cativeiro, o Santuário de Elefantes Brasil está preparado para ter um impacto profundo na vida de elefantes cativos no Brasil e em toda a América do Sul.

Temos um longo e empolgante caminho pela frente. Para saber mais sobre o que vem a seguir, confira os estágios de desenvolvimento. Por favor, veja os nossos progressos no Facebook e volte sempre para acompanhar as postagens em nosso site.

Compartilhe!