Ramba e as Bananinhas

ramba_bananinhas_destaque

Scott e Katherine Blais, do Global Sanctuary for Elephants, estiveram no Chile desde o final de dezembro de 2013 até meados de janeiro (logo após seu trabalho conosco no Brasil), para realizar alguns tratamentos de saúde em Ramba, elefanta asiática resgatada de um circo, que está, provisoriamente, em um zoo. Agradecemos à Bananinha Paraibuna pela doação de caixas repletas de Bananinhas sem açúcar, que foram levadas na viagem por Scott e Kat, para serem oferecidas a Ramba. Leia o depoimento de Kat sobre Ramba e as Bananinhas.

“Quando você realiza treinamento com reforço positivo com um elefante, a ideia é dar a ele um alimento como recompensa quando ele se comporta da maneira como você pediu. Com Ramba, sabíamos que seus tratadores haviam tentado tirar uma amostra de seu sangue e não tinham conseguido, então tínhamos que procurar uma recompensa bem especial para ela.

Uma das comidinhas que andamos saboreando durante nossa estadia no Brasil foi um doce de banana chamado Bananinhas, e como elefantes gostam muito de bananas, imaginamos que também pudessem gostar das Bananinhas. Tínhamos que trabalhar muito nas patas de Ramba, já que ela estava com unhas e hipotenares (a parte polpuda e mole do lado de baixo da pata) muito crescidos. Durante as sessões de treinamento, dávamos a ela frutas e vegetais cortados, de modo alternado com cereal, mas, no final, os elefantes devem receber uma grande recompensa por terem se comportado tão bem, e é então que oferecíamos a ela as Bananinhas. Abríamos algumas das embalagens antes, e as deixávamos à mão para quando tivéssemos terminado. Chegada a hora, ela as pegava alegremente com sua tromba e as devorava rapidamente.

Você pode achar que algo tão pequeno é pouco para um elefante, mas não se trata de tamanho. Trata-se de sabor. Eles costumam pegar frutinhas vermelhas no mato, uma a uma, para comer. Alguns elefantes costumam até mesmo guardar em sua boca pedacinhos de algo realmente gostoso, por horas a fio, empurrando-os para sua bochecha, de modo que possam prolongar o tempo de saboreá-los.

Ramba ficou muito feliz com suas Bananinhas e quando também as oferecíamos apenas como simples petisco (já que são saudáveis), ela aguardava pacientemente que as desembrulhássemos, e então, rapidamente as sugava. Essa era uma ótima alternativa saudável para uma ‘grande recompensa’ ao final de suas sessões, nas quais se comportava tão bem. Ramba realmente é uma joia rara.”

 

Compartilhe!

One Comment on “Ramba e as Bananinhas

  1. Pingback: As patas de Ramba e sua relação com o cativeiro