Rana ganha vida nova no Santuário de Elefantes em MT

Rana Maia e Guida 800

Rana (centro) com Maia e Guida no habitat preparado pelo Santuário de Elefantes em MT


Chapada dos Guimarães (MT) – A jornada para resgate da elefante Rana, que desembarcou no Santuário de Elefantes Brasil (SEB) no último dia 21 de dezembro e a tempo de passar o Natal e a virada do ano na companhia de Maia e Guida, foi concluída com sucesso após 11 dias marcados pela emoção, muito trabalho e concentração em cada fase da operação.

Com idade aproximada entre 50 e 60 anos, Rana ganhou companhia, mais espaço, alimentação adequada e cuidados veterinários que já estão fazendo a diferença em sua nova vida.

Após planejamento detalhado, o presidente e o diretor do Santuário, Scott Blais e Daniel Moura, respectivamente, chegaram na Fazenda Boa Luz em Aracaju (SE), com cinco dias de antecedência ao embarque da aliá. O objetivo era fazer a avaliação do estado de saúde de Rana e, também, sua adaptação à caixa de transporte na qual ficaria acomodada por longo período. Na fase de adaptação, a aliá pôde entrar e sair à vontade da caixa de transporte, onde passou a ser alimentada com frutas e probióticos, além de receber atenção especial para se sentir segura com a nova equipe.

Rana vive desde 2012 no zoológico do hotel fazenda após uma vida inteira de adestramento forçado para exploração em espetáculos circenses

Rana, ainda na fazenda em Aracaju (SE), teve 4 dias para se adaptar ao contêiner que a levaria até o Santuário em MT

Os integrantes da jornada relatam que foram dias de muita concentração, esforço e foco nos detalhes para que desse tudo certo e o empenho de todos fosse recompensado com o sucesso da operação. Daniel Moura conta que foi emocionante a maneira como a aliá se comportou com a chegada da caixa de transporte. “Rana simplesmente adorou! Como se fosse um novo brinquedo e, durante os dias destinados à adaptação e aclimatação, ficou tocando e cheirando cada centímetro da caixa, bem como passou a maior parte dos dias dentro dela”, apontou.

WhatsApp Image 2018-12-17 at 12.15.42(2)

Presidente do Santuário de Elefantes Brasil, Scott Blais, organiza carga de feno para alimentar Rana durante a viagem

A familiarização com a estrutura de transporte foi fundamental para a segurança da viagem. A boa adaptação e a resposta positiva da Rana para com a equipe do SEB permitiu que, após 4 dias, a caixa fosse fechada e içada até o caminhão para dar início à jornada final, rumo à sua nova e definitiva casa em Mato Grosso.

Um dos momentos mais marcantes foi o encontro de toda a equipe – veterinários, biólogos, tratadores, fotógrafos, voluntários e patrulheiros da PRF – com Rana, naquele que seria o primeiro dia do fim de seu sofrimento. “Ela se comportou como se soubesse que algo bom estava para acontecer”, diz Daniel Moura.

Santuário de Elefantes faz 4 dias de adaptação de Rana ao conteiner de transporte antes do embarque

Caixa de transporte já com Rana é içada até o caminhão para viagem de 2,7 mil km até MT; carga pesa cerca de 9 toneladas

A equipe foi liderada pelo presidente do SEB. A veterinária do Santuário, Laura Paolillo, responsável pelo transporte, contou com apoio da diretora do Global Sanctuary for Elephants (GSE) e diretora de Bem Estar Animal do SEB, Kat Blais. Também acompanharam o resgate, à distância, o veterinário indiano especialista em elefantes, Rinko Gohain, e seus assessores no International Elephant Health.

WhatsApp Image 2018-12-28 at 18.38.23

Com apoio da PRF, equipe liderada pelo presidente do Santuário Scott Blais se despede e pega a estrada com Rana até MT

A caravana pega a estrada e Rana se despede do zoológico que a acolheu nos últimos 6 anos de sua vida, após relatos de maus-tratos ligados a antigos donos da Boa Luz. Duas patrulhas da Polícia Rodoviária Federal deram apoio durante a viagem.

Os 2,7 mil km percorridos exigiram concentração total na viagem e nas paradas feitas para dar comida e água a Rana. A equipe foi orientada a se manter sempre focada e consciente de que era necessário ter sob controle qualquer ansiedade ou excitação.

Boas vindas

Ao entrar em território mato-grossense, a aproximação com a reserva do Santuário foi, aos poucos, substituindo todo cansaço e tensão pela confiança de que a missão logo estaria concluída.

IMG_1777-2

No distrito Rio da Casca, já há 8 km do SEB, crianças e adultos aguardavam a caravana para dar boas vindas a Rana

Já há 8 km do SEB, crianças e adultos moradores do distrito Rio da Casca, deram as boas vindas a Rana. A viagem segue e chega o grande momento do desembarque. Dois guinchos içam o contêiner e executam manobras precisas com a carga de 9 toneladas até que seja colocado em posição para que Rana pudesse, enfim, desembarcar dentro do galpão do Centro de Tratamento Médico.

Frutas, folhagens e montinhos de terra foram oferecidos à nova residente como recompensa pelo bom comportamento durante toda a jornada. Rana demonstrou gratidão, saboreou cada alimento oferecido e organizou um verdadeiro festival de terra e poeira, como quem faz um show para a imprensa e convidados que assistiam atentos ao desembarque.

WhatsApp Image 2018-12-22 at 10.42.09(1)

Frutas, folhagens e montinhos de terra foram oferecidos à nova residente como recompensa pelo bom comportamento

Dupla jornada

Há pouco mais de 2 anos, em outubro de 2016, o SEB realizava o primeiro resgate de elefantes. A dupla jornada trouxe, de uma só vez, Maia e Guida para o Santuário. Saindo de um sítio em Paraguaçu (MG), onde as aliás viveram separadas e acorrentadas durante 6 longos e penosos anos, foram percorridos 1,6 mil km e, em 2 dias, as novas moradoras já estavam desfrutando de nova vida, em espaços planejados para atender suas necessidades.

Na reserva de 1,1 mil hectares predomina uma exuberante vegetação típica do cerrado mato-grossense. A área está localizada a pouco mais de 100 km do Centro Geodésico da América do Sul, cujo marco foi erguido em uma praça histórica da tricentenária Capital do Estado, Cuiabá.

Doações

Você pode fazer a diferença e ajudar nos cuidados com Rana, Maia e Guida e ser um colaborador do Santuário. A manutenção do projeto vem de doações e a contribuição pode ser feita de diversas maneiras. Acesse o link http://www.elefantesbrasil.org/doe/ e faça sua doação. (Texto: Lana Motta/Fotos: Patrícia Santos)

IMG_1992(1)

Momento em que Rana desce da caixa de transporte e pisa pela primeira vez na reserva do Santuário de Elefantes em MT

 

Rana e água - foto Patrícia Santos

Rana se refresca com jato de água em sua primeira saída para o habitat das fêmeas asiáticas criado pelo Santuário

Compartilhe!

Comments are closed.