sandro e raisa header

Sandro e Raisa

Por: Kat Blais – Global Sanctuary for Elephants

Quando falamos de diferentes elefantes, sempre há o medo de soarmos como um disco quebrado, falando sobre como cada um deles é surpreendente, mas essa é a verdade. Conforme falamos sobre cada um, descrevendo o que sabemos sobre ele, sobre como cada um é único, entendo quando os pais juram que não têm um filho favorito, que cada um deles é maravilhoso do seu modo. Dito isso, as pessoas normalmente se conectam a um ou outro elefante em particular, mas isso não faz com que nenhum dos outros torne-se menos especial, é apenas algo sobre eles que faz com que você se identifique – eles simplesmente envolvem você e encontram um lugar em seu coração. Estes dois elefantes que vivem no zoo de Sorocaba – SP, não foram exceção.

Sandro e Raisa têm cerca de 42 anos, mas não poderiam ser mais diferentes. Sandro é um musculoso macho asiático, que não tem presas. Seu sorriso simplesmente roubou meu coração. Ele é ativo, atrevido, sorridente e seria extraordinário num local com espaço para explorar. Com a personalidade que pudemos observar, ele poderia agir de modo precipitado, mas o conceito de um santuário é justamente ser um local que permite que os elefantes se expressem da maneira como realmente são. Sandro é o tipo de elefante por quem as pessoas se apaixonariam, porque é impossível não sorrir quando você o vê – tem algo nele que aquece a alma.

Raisa rouba seu coração por uma razão diferente; ela dá a impressão de ter vivido uma vida muito dura. Seu rosto parece muito mais velho do que sua verdadeira idade. Raisa estava incrivelmente tensa quando chegamos, mal chegando a dobrar suas articulações conforme andava em direção a seu recinto fechado, onde entrou e parou. Seus movimentos melhoraram um pouquinho enquanto estivemos lá, mas seu desconforto é visivelmente claro. Ela ficou parada em seu monte de areia durante a maior parte do tempo em que ficamos ali, distraidamente se banhando com ela; seu corpo e seu espírito merecem mais da vida. O corpo de Raisa teria enormes benefícios se ela pudesse caminhar por longas distâncias, subir e descer colinas, exercitando músculos inertes de seu corpo e lubrificando suas doloridas e rígidas articulações. Estas coisas simples, junto com suplementos terapêuticos, podem fazer uma diferença enorme na vida de um elefante. Com músculos desenvolvidos, os ossos não ficam apenas se apoiando uns nos outros, a força muscular ajuda a segurar e suportar seu enorme esqueleto, tirando o peso de suas juntas e aliviando a dor que ela tem sentido por décadas. O cansado corpo de Raisa iria, definitivamente, encontrar alívio na vida num santuário.

É muito cedo para dizer se esses dois indivíduos tão diferentes, surpreendentemente únicos à sua maneira, encontrarão seu caminho para o santuário, mas estejam certos de que assim que estejamos prontos, ofereceremos prover a eles uma chance de viverem uma vida completa.

Compartilhe!